Por que existimos?

Poderíamos chamar esse texto de Manifesto CityTech, ou Manifesto pelas Cidades. Não deixa de ser um manifesto, afinal estamos, de forma direta, manifestando a nossa razão de existir e de ser do jeito que somos. No entanto, decidimos ser direto ao ponto e, já no título, expressarmos o tema central desse texto: Por que existimos?

As cidades estão ficando cada vez mais populosas. Claro, as pessoas perceberam o valor de se viver em uma sociedade mais organizada, com mais acesso a serviços básicos, com um ambiente mais propício para a vida humana plena. Mas, mais do que isso, as cidades são concentradoras de mentes diversas, que se juntam em comunidades para compartilhar conhecimento, habilidades e conquistas. Esses elementos são propulsores da evolução das pessoas, e retroalimentam o próprio meio, que se torna cada vez melhor à medida que nós, seres humanos, criamos novas e melhores formas de se viver em sociedade.

Esse fato, no entanto, expõe também nossas fraquezas e vulnerabilidades. Os serviços públicos, por exemplo, foram criados e são geridos com base em uma dimensão de cidade que vai mudar consideravelmente dentro de dez anos. Por isso, devemos ser capazes de reinventar nossas cidades para que passamos a comportar o grande número de pessoas que vão chegar nelas. E temos uma aliada muito forte nesse contexto: a tecnologia da informação e da comunicação.

Os avanços tecnológicos que o ser humano produz já são capazes de grandes realizações. Assistimos à disrupções de mercados tradicionais de maneira mais intensas nos últimos dez ou quinzes anos. A inovação científica está, enfim, chegando mais rapidamente nos mais diversos aspectos da vida humana, e está abrindo um novo leque de oportunidades para repensarmos - e efetivamente criarmos - um novo viver.

É hora, portanto, de explorarmos esses fatos e os vermos como oportunidades de mudar nossas realidades. Mas só faremos isso de maneira integrada e efetiva se juntarmos essas poderosas mentes de uma cidade para que pensem e criem novas soluções para nossos mais diferentes desafios urbanos.

Por isso existe a CityTech. Queremos mudar a realidade do mundo urbano (do mundo mesmo!) por meio de aplicações de tecnologias de ponta para tornar serviços públicos de todas as dimensões melhores e mais eficientes. Vemos um mundo mais igual e acessível para todos à medida que levamos essas inovações para todas as pessoas que vivem nas cidades.

E não temos nenhuma pretensão de fazer isso sozinhos. Acreditamos fielmente no poder que o ecossistema urbano e seus talentosos seres humanos têm de entender os problemas das cidades em profundidade e construírem as cidades do futuro, que já não estão muito distantes. Governos, empresas, universidades e organizações da sociedade civil são atores elementares dessa jornada rumo às cidades construídas tendo o cidadão como foco de tudo! No fim, é para ele (todos nós, no fim do dia) que tudo isso existe e foi construído. Não tem como pensar na cidade se não pensarmos, primeiramente, em quem vive nela. Não há razão alguma para isso.

Faremos isso seguindo à risca nossos sete princípios:

1 - Trabalhamos pelas cidades e seus cidadãos
Nascemos com a missão de desenvolver tecnologias inteligentes para a melhoria da eficiência e qualidade dos serviços e da gestão pública. Fazemos isso tendo os cidadãos sempre no centro de todas as nossas realizações, porque é para eles que uma cidade é construída todos os dias.

2 - Debatemos para agir e avançar
Não existe avanço tecnológico e social sem a diversidade de opiniões e os conflitos produtivos. Questionamos o status-quo com embasamentos sólidos, expomos nossos posicionamentos sem medo de contrariar a “maioria”, e somos transparentes em nossas comunicações diárias. Nossos debates divergentes têm sempre o objetivo de pensarmos ações convergentes que nos fará avançar e atingir patamares de excelência cada vez mais altos. 

3 - Fazemos o que é certo
Não temos dúvidas de que nossas ações, por mais disruptivas que sejam, têm de estar em plena e íntegra conformidade com os valores da sociedade na qual estamos inseridos. Fazer o certo é fazer aquilo que queremos, podemos e devemos, respeitando nossa essência enquanto empresa, nossa visão de futuro e nossos valores organizacionais e sociais.

4 - Pensamos em escala global
Nos orgulhamos de ser uma empresa brasileira, que causa impacto positivo no país em que nascemos e crescemos. Mas temos uma ambição de fazer o que fazemos para cada vez mais pessoas, independente de onde nasceram e cresceram. Por isso, nossa atuação é global e as fronteiras entre países, para nós, são meras formalidades. Um mundo altamente conectado como o nosso é um mundo cada vez mais acolhedor, acessível e sem fronteiras. Por isso, nossas tecnologias e conhecimento tem de chegar em qualquer lugar que for necessário, onde quer que seja.

5 - Inovamos com a ajuda da ciência
As pesquisas científicas são cruciais para o avanço da nossa sociedade. Elas nos mostram a fronteira do nosso conhecimento e o quê precisamos descobrir. Nossa curiosidade pelo novo e pelo mais avançado é tanta que a inovação que produzimos tem de estar conectada com o estado-da-arte da Ciência. E essa é uma via de mão dupla: assim como absorvemos conhecimento da Ciência, compartilhamos com ela o que é produzido por nossas atividades.

6 - Construímos hoje um futuro sólido e perene
O nosso presente é pautado pelo futuro sólido e perene que queremos construir. Por solidez, entendemos que o que fazemos está apoiado em bases robustas e éticas que não se abalam. Por perenidade, entendemos que construímos uma empresa todos os dias que vai viver sem data de validade. Não é o tamanho da nossa conta bancária que vai definir nosso sucesso, mas, sim, o quão ativos e relevantes somos na transformação das cidades no mundo.

7 - Somos Inspirados e Inspiramos
Somos inspirados por nossos colegas de trabalho, nossos líderes, nossos colaboradores, nossos clientes e nossos fornecedores por aquilo que são. Cada um de nós tem a liberdade para ser o que é e para pensar o que pensa, independente do que seja. Essa diversidade de pensamentos e opiniões é extremamente rica para que nós, por consequência, possamos inspirar a sociedade com aquilo que criamos e produzimos, gerando um ciclo virtuoso em nossas relações.

E assim, fundamentamos nossa existência e existimos!